quinta-feira, 27 de julho de 2017

As razões de Luís Boavida para abdicar da candidatura

Transcrevemos a declaração que Luís Boavida leu na conferência de imprensa realizada no dia 27 onde anunciou que abdica da sua candidatura à câmara de Tomar por questões de saúde:



“Faz hoje precisamente um mês que, como sabem, fui acometido de um ataque convulsivo, seguido de desmaio.
A partir daí, seguiram-se 22 dias de internamento hospitalar, no Centro Hospitalar do Médio Tejo, nas Unidades de Abrantes e Tomar e no Serviço de Neurologia do Hospital de S. José, em Lisboa.
Presentemente encontro-me bem, estável e não sofri qualquer tipo de afectação nas minhas capacidades.
Todavia, o diagnóstico da situação, resolveu pregar-me uma partida e vejo-me confrontado com uma doença do foro oncológico.
Em consequência, virão aí tempos difíceis, de tratamentos agressivos, como todos sabem e que irão prolongar-se durante várias semanas.
Como facilmente poderão compreender, será praticamente incompatível conciliar uma exigente e envolvente campanha eleitoral que se avizinha, com um não menos extenuante, plano de tratamentos. 
Por conseguinte, a partir de agora a minha prioridade será a minha saúde e a luta para vencer a doença. É neste objectivo que terei de concentrar todas as minhas forças e todas as minhas energias.
Para isso contarei com o apoio incondicional da minha família e com o apoio de muitos e bons amigos que, felizmente tenho.
Como já devem ter percebido, serve este encontro, para vos anunciar que abdico da minha candidatura à Presidência da Câmara Municipal de Tomar.
O Partido Social Democrata terá, assim, de proceder à minha substituição.
Como devem calcular, é com muita mágoa que o faço, até porque sempre senti que poderia ajudar o Concelho a melhorar e a sair da situação de profunda crise em que se encontra.
Mas não posso enganar os meus potenciais eleitores e os tomarenses em geral, uma vez que não posso garantir que, num futuro próximo, esteja na posse das minhas totais capacidades.
Não posso abordar propostas e medidas, com a incerteza latente de não as poder cumprir. 
Como Católico que sou e crente em Deus, tenho a certeza que nada acontece por acaso e que Ele terá reservado para mim um outro caminho bem mais importante.
Quero aproveitar para agradecer a todos os que me apoiaram, fosse de que forma fosse, neste projecto que iniciei e que, infelizmente, não poderei concluir. 
Foi um prazer trabalhar com todos os que me apoiaram incondicionalmente desde o início.
Quero voltar a agradecer os milhares de mensagens e telefonemas que tenho recebido ao longo deste último mês, e todas as visitas que me fizeram nos Hospitais por onde passei.
Sei que não vão levar a mal que, nesta hora, destaque, para além da Isabel e do João, duas pessoas que foram incansáveis no apoio e na ajuda neste último mês: a Beatriz Schulz e o Carlos Silva. Obrigado por tudo!
Obrigado a todos os presentes.
Vemo-nos por aí!”
                                       Luís Filipe Boavida

2 comentários: