quarta-feira, 20 de Agosto de 2014

Recolha de lixo e limpeza da cidade passam para os SMAS

Sede dos SMAS na Praça da República em Tomar
De acordo com o novo Regulamento da Estrutura e Organização dos Serviços Municipalizados de Tomar, publicado no Diário da República no dia 18, a gestão de resíduos urbanos (recolha de lixo) e a limpeza pública da cidade passam a ser da responsabilidade dos SMAS. Ou seja, a Câmara vai transferir para os SMAS estes serviços que até agora estavam sob a sua alçada.
Segundo aquele documento o objetivo primeiro das atividades dos SMAS é “a melhoria das condições gerais de vida e de bem-estar, através da defesa da saúde pública e do meio ambiente”. Para tal “devem conceber, construir e gerir os sistemas de distribuição de água e de recolha e escoamento dos efluentes domésticos, recolha de resíduos sólidos e serviços de limpeza urbana, de forma eficaz, garantindo ao Município a prestação de um serviço público de qualidade através de processos de gestão eficientes e respeitadores dos valores sociais e ambientais mais elevados, consolidando uma imagem de confiança e competência.”
Os SMAS são geridos sob forma empresarial e possuem organização autónoma no âmbito da administração municipal. No entanto, os três elementos do conselho de administração são os eleitos do PS na Câmara: Anabela Freitas (presidente), Rui Serrano e Hugo Cristóvão (vogais).

Dinamizador da comunidade cigana acusa novas famílias no Flecheiro de furto

Foto publicada por Almerindo Lima no facebook

“Há umas famílias novas que acamparam sem autorização no acampamento nº 2 (no Flecheiro, junto ao antigo Bloco de Representações), que têm vindo a praticar furtos em Tomar, com comportamentos menos adequados à restante sociedade”. A denúncia partiu de Almerindo Barbosa Lima, morador no Flecheiro e dinamizador da comunidade cigana para o Programa Escolhas no CIRE - Centro de Integração e Reabilitação de Tomar.
Almerindo Lima denunciou a situação no facebook. Acusa os mais recentes moradores do Flecheiro de “roubo de carrinhos de compras num estabelecimento comercial em Tomar”, o que considera “um abuso”.
“Sinto que tenho de tomar uma posição como cidadão que reivindica uma sociedade igual para todos! Não posso concordar com esse tipo de comportamento (…)”, escreve o dinamizador comunitário.
Afirma-se revoltado com a polícia “que nada faz nesse tipo de casos”. Acusa estas novas famílias de acamparem sem autorização, de construírem barracas ilegalmente e de criarem um preocupante ambiente de falta de segurança no acampamento nº 2.
Almerindo Lima diz que esta posição pública foi tomada em conjunto com os “verdadeiros habitantes do Flecheiro”.


Festival Bons Sons com balanço positivo

Mais público e resultado financeiro equilibrado são alguns dos fatores que levam o diretor artístico do Festival Bons Sons a fazer um balanço positivo da edição deste ano.
Em declarações à agência Lusa, Luís Ferreira revela que se este ano o festival desse prejuízo como aconteceu em 2012, “não haveria mais Bons Sons”.
De 14 a 17 de agosto passaram pela aldeia de Cem Soldos 38 mil pessoas, mais 3 mil do que há dois anos, adiantou o principal rosto do festival.
O take da agência Lusa pode ser lido aqui.
Festival Bons Sons atrai mais espectadores e dá confiança à organização

terça-feira, 19 de Agosto de 2014

Sugestão para refrescar

A praia fluvial do Agroal, entre os concelhos de Tomar e Ourém, pode ser uma boa sugestão para se refrescar neste verão.
O jornal Notícias de Ourém publicou no youtube um vídeo sobre esta zona balnear.

Cantos e recantos de Tomar XI

Escadinhas do Alto da Piçarra, centro histórico de Tomar. Agosto 2014

Diário de Notícias destaca casos em Tomar e Ferreira do Zêzere

A edição de hoje do Diário de Notícias tem como manchete um caso que se passou em Tomar e do qual já publicámos notícia. É a história de uma consulta de cardiologia pedida com urgência e marcada pelo hospital de Tomar para fevereiro de 2016. O caso merece destaque no matutino com direito a manchete, duas páginas no interior e editorial.
O DN refere que “no primeiro semestre deste ano, uma em cada quatro primeiras consultas realizadas nos hospitais não cumpriu os tempos clinicamente aceitáveis. Hospitais justificam atrasos com a falta de pessoal médico e com os problemas de contratação.”
Outro título de primeira página no Diário de Notícias é a história insólita de Hermínia Salteiro, de 64 anos, moradora em Ferreira do Zêzere e que foi convocada pelo Ministério da Defesa para estar presente no Dia da Defesa Nacional, a 30 de setembro, no Campo Militar de Santa Margarida.

Consulta urgente de cardiologia marcada para 2016

Editorial
Casos de urgência

Mulher de 64 anos convocada para... ir à tropa

segunda-feira, 18 de Agosto de 2014

Quem quiser ter uma horta municipal vai ter de pagar mais de 100 euros por ano

No regulamento das hortas municipais de Tomar, que se encontra em fase de discussão pública, estão definidos os preços que os candidatos a agricultores têm de pagar por cada talhão: 1,5 euro por cada m2 e por ano a que acresce uma joia (caução) de 50 euros a pagar em prestações de 15 euros por trimestre.
Estão disponíveis 64 talhões, com áreas compreendidas entre os 60 e os 75 m2, o que significa que cada horta vai custar ao ‘agricultor’ entre 90 e 112,5 euros por ano, sem contar com a tal joia. Os desempregados ou carenciados beneficiários de apoios sociais têm um desconto de 50 por cento.
As hortas municipais situam-se num terreno entre o horto municipal e o rio Nabão, perto da Agriloja em Marmelais.
Com a criação destas hortas a Câmara pretende “um adequado desenvolvimento de atividades ligadas à agricultura urbana sustentável, com uma vertente social que se pretende que venha a fomentar relações de vizinhança e de espírito comunitário, entre cidadãos individualmente considerados, ou integrados em Associações e Instituições que pretendam valorizar o Projeto”.
A “Proposta de Regulamento de Acesso e Utilização das Hortas Municipais de Marmelais” foi aprovada por maioria em reunião de Câmara e está publicada hoje no Diário da República. Pode ser lida aqui.



Sérgio Godinho recupera de queda durante concerto em Cem Soldos

Foto de Carlos Manuel Martins publicada na página do festival Bons Sons no facebook

“Tranquilizem-se, Sérgio Godinho está bem e tudo não passou de um grande susto”, escreveu o agente do cantor, Paulo Salgado, na página oficial no Facebook.
Sérgio Godinho sofreu uma aparatosa queda ou “um tombo memorável” como o próprio disse durante a sua atuação este domingo no festival Bons Sons, em Cem Soldos, Tomar. Caiu para o fosso entre o palco e assistência.
O músico teve de levar pontos na cabeça onde sofrera dois cortes profundos na sequência da queda.
Mesmo assim, após uma interrupção de alguns minutos, Sérgio Godinho subiu de novo ao palco para terminar o concerto. No final os bombeiros levaram-no de ambulância para o hospital de Tomar.
Na página oficial de Sérgio Godinho no facebook, o seu agente agradece “ao corpo de Bombeiros presente no local, à equipa do Hospital Nossa Senhora da Graça de Tomar, à organização do festival e aos milhares que ao longo de hora e meia celebraram a "Liberdade".”