quarta-feira, 31 de maio de 2017

Câmara corta água do bebedouro dos pombos

Com o argumento de afugentar os pombos da Praça da República, a câmara de Tomar cortou o fornecimento de água ao bebedouro utilizado pelos pombos naquela praça do centro histórico da cidade.

Há cerca de uma semana que o bebedouro está seco, o que levou a alguns cidadãos a dar de beber aos pombos colocando água no bebedouro ou usando recipientes para que as aves possam matar a sede.
Da parte dos SMAS - Serviços Municipalizados, o diretor delegado Francisco Marques garantiu-nos que “não efetuaram qualquer corte/interrupção do fornecimento de água à rede predial mencionada.” Acrescenta-se no esclarecimento que “a utilização de água e a gestão de qualquer rede predial de distribuição de água é da exclusiva responsabilidade e competência do utilizador titular do contrato de fornecimento”.
Da parte da câmara, apesar de termos enviado um pedido de informação, como habitualmente, o silêncio foi a resposta. Ou seja, a câmara não esclarece os cidadãos do porquê do corte, se é temporário ou definitivo e quais são os objetivos.
Sabemos que uma funcionária da câmara foi admoestada pela presidente por estar a dar água aos pombos.
Revoltados com a decisão camarária, vários cidadãos têm garantido que não falte água às aves da Praça da República. As proprietárias da loja Morphose colocaram um recipiente com água no exterior do estabelecimento onde os pombos vão beber água. Fonseca Gonçalves, colaborador do jornal “Cidade de Tomar” e defensor dos animais, à segunda e à sexta feira, deixa recipientes com água espalhados na praça e dá ração aos pombos.


18 comentários:

  1. Dar comida a pombos é proibido e punível com coima em muitos municípios portugueses. Também pode ter alguns riscos para a sua saúde, o perigo de transmissão de doenças, como a criptococose e a histoplasmose, através das fezes secas destas aves. Em ambas, o risco de contágio é maior nas camadas mais vulneráveis da população: crianças, idosos e pessoas com sistemas imunitários enfraquecidos, como os doentes de cancro...

    ResponderEliminar
  2. Tendo a camara a 20 de março feito uma campanha por causa da alimentaçao dos pombos, é mais que normal que deixe também de fornecer água... https://www.facebook.com/municipiotomar/photos/a.393890430744656.1073741828.392722130861486/1080632215403804/?type=3&theater

    ResponderEliminar
  3. Ridicula esta decisão da Anabela Freitas e seus muchachos. Até parece que assim se resolve o problema dos pombos. Tristeza!!!!!

    ResponderEliminar
  4. Não é desta forma que afugentam os pombos. Para além de que o bebedouro serve também para gatos e cães beberem água. E mais do que isso, o bebedouro da Praça é um símbolo de uma cidade e de uma autarquia que se preocupam com o bem estar dos animais, causa que ganha cada vez mais notoriedade e adeptos na nossa sociedade. E ainda bem. Por que não pensar numa solução como aquela já implementada em Lisboa, um projeto vencedor do Orçamento Participativo, os pombais contracetivos. Foi utilizado um edifício existente para a criação no seu interior de um pombal contracetivo, que irá permitir o controlo da reprodução e consequentemente a redução da população.

    http://visao.sapo.pt/actualidade/portugal/2017-05-24-Ha-que-dar-conforto-aos-pombos

    ResponderEliminar
  5. São duas as obras de misericórdia corporal ofendidas pelas altas, brilhantes e divertidas mentes que ainda se pavoneiam pelo Palácio da Praça da República: dar de comer a quem tem fome e dar de beber a quem tem sede.
    Pobres os pombos que maltratados, são vítimas do pensar curto de tais autarcas.
    No léxico da igreja são as obras de misericórdia para respeitar pelo que conhecendo-se a condição anticlerical do executivo municipal ainda em funções a medida tomada de desrespeito pelas duas obras acima referidas só pode ser visto como o dois em um: ataque selvagem a uma espécie animal viva e investida soez à doutrina da igreja.
    Quem assim faz, por tal terá que ser julgado. E condenado, naturalmente.

    ResponderEliminar
  6. Muito boa decisão, as pessoas nem imaginam ou não querem imaginar o foco de doenças destes ratos com asas. Só um ignorante é que não pensa assim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro, a praga aqui somos nós e não os pobres pombos!

      Eliminar
  7. .. até porque os pombos não tem asas para ir beber água a outro lado.

    ResponderEliminar
  8. Considero que não é justo tirar a água aos pombos.Numa altura em que a penalização a quem maltrate os animais está aí não se çompreende que mais uma vez a camara contrarie o espirito da lei.Existem meios sem retirar o bem estar animal para regular o nascimento dos mesmos.

    ResponderEliminar
  9. Considero que não é justo tirar a água aos pombos.Numa altura em que a penalização a quem maltrate os animais está aí não se çompreende que mais uma vez a camara contrarie o espirito da lei.Existem meios sem retirar o bem estar animal para regular o nascimento dos mesmos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E que tal o facto de isso ser um perigo para a saúde pública ?

      http://www.revistaveterinaria.com.br/2011/06/16/o-perigo-dos-pombos-para-a-saude/

      Eliminar
  10. Perto da minha casa ou mesmo no telhado não aparecem, porque se aparecerem levam com trigo roxo, isso é garantido.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se a autoridade tiver conhecimento não duvide que vai sofrer as consequências assim como quem lhe vende o trigo roxo e isso é mesmo garantido

      Eliminar
  11. Estao a cortar na agua para poupar e assim pagar a bela merluza do 'grafiti' no muro junto ao rio. É umas atras das outras. É so faturar

    ResponderEliminar
  12. ... Na minha opinião, neste momento a maioria dos seres humanos é que são um perigo para a saúde pública e sanidade mental pública!!
    Coitados dos pombos... Tantos outros animais que podem passar doenças a humanos e nós defendemos e tentamos arranjar soluções, até "já conseguimos" a lei para tal...
    Ninguém vai para o campo, cuidado, há pulgas e carraças e outros bichinhos "maus". Cuidado com os ratos também... Com as baratas nas cidades, com as melgas e as moscas!! Ai as moscas que trazem aos humanos gastroenterites etc., bastando para tal pousar em cima de um bocadinho de comida e deixar uns ovinhos quase invisíveis... (em segredo, ninguém deve saber: as moscas andam por todo o lado... são mais que os pombos).

    Pensar para arranjar boas soluções para os problemas -> 'tá quieto...

    ResponderEliminar
  13. Coitadinhos dos pombinhos que não podem ir seciar a sua sede. Eles se sabem cuidar, têm muito onde ir. Até parece que não há um rio que nos atravessa a cidade.
    É mais fácil dizer mal.
    Pior ainda são os funcionário que coitadinhos passam mensagens falsas para os candidatos terem tema de controversa, mas se vissem bem, alguns deles que até andam ilegalmente a vender aves caseiras entre outras coisas ao público na hora de serviço.
    Tudo se sabe e o nosso maior amigo, fingido, é quase sempre o maior inimigo... Cuidado sejamos sérios!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aprenda a escrever português!

      Eliminar
  14. Talvez te possa dar lições de português. há efetivamente erros que ocorrem na rapidez da escrita, mas na verdade é muito importante! Percebe-se bem, mas não interessa o comentário...

    ResponderEliminar