sábado, 14 de janeiro de 2017

Noutros tempos

Nos tempos em que o estádio municipal de Tomar esgotava completamente para se assistir a um jogo de futebol…

8 comentários:

  1. Talvez fosse mais adequado dizer, creio eu, "Nos tempos em que ainda havia em Tomar um estádio municipal com bancadas para 15 mil espectadores..." Ou, mais sucintamente, "Antes do Paiva..."

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que exagero doutor, 15 mil!
      Só se fosse ao colo uns dos outros e em colos de três andares!
      Esses ares quentes, esses ares quentes! Que dilatam os corpos.. e as mentes!

      Eliminar
    2. Nao sejam mauzinhos.. afinal de contas o Eng Paiva conseguiu construir duas piscinas cobertas em Tomar, as do complexo desportivo e outra na cave do pavilhao municipal XD

      Eliminar
  2. O estádio hoje em dia não esgota porque o clube da cidade, que da cidade tem pouco, é gerido como se de uma quinta pessoal se tratasse.

    Noutros tempos, havia amor ao clube da terra, apenas e só. Os três estarolas trouxeram um novo fenómeno ao desporto, fazendo com que indivíduos de Faro, de Beja, de Tomar, da Guarda ou de Bragança andassem ao sopapo a gritar por agremiações de Lisboa ou do Porto.

    Tudo isso seria indiferente se existisse um mínimo de condições para chamar gente de volta ao Municipal, algum esforço no sentido de apoiar a equipa tomarense dos habitantes do seu Concelho. Não há. E não há porque o próprio presidente da instituição é um dos adeptos dos três estarolas. Basta olhar para a página de facebook do referido indivíduo que se vê que mete mais "notícias" acerca de uma agremiação de Lisboa do que sobre a própria instituição que preside.

    A hashtag #Supportyourlocalfootballteam nunca fará sentido com gente tão amadora à frente do clube. São necessários dirigentes competentes, com ambição, capazes de desenvolver estratégias que permitam à União Futebol Comércio e Indústria de Tomar abranger adeptos e apoio local, como forma de arranjar patrocínios, calor humano nas bancadas e envolver a cidade num projecto que possibilite altos vôos, não a miséria que actualmente se vê.

    Deixo algumas ideias, que nada trazem de genial, pois são a constatação do que se passa noutras localidades do país, mas que em Tomar nunca foram praticamente aplicadas pelos "dirigentes" responsáveis:

    - Levar a equipa a escolas primárias e secundárias do Concelho, distribuindo autógrafos, instalando bancas do clube nesses dias de visita, que permitam aos mais novos conhecer o UFCIT;

    - Distribuir bilhetes para os jogos nessas mesmas visitas, tentando apelar a mais crianças no estádio;

    - Criar promoções para sócios;

    - Divulgar, nos jornais da cidade, informações úteis e que ninguém conhece: Como ser sócio, onde preencher os papéis, onde pagar as quotas, onde comprar merchandising, etc;

    Se este actual "Presidente" não mudar de rumo, terão que ser os adeptos a mudar o rumo por ele.

    #UniãoDeTomar #UFCIT #SupportYourLocalFootballTeam

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como sócio tenho que concordar com alguns tópicos.

      Eliminar
  3. Ainda bem que escreveram essa barbaridade como anónimo hahahaha

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Barbaridade é ser de Ferreira do Zêzere, querer ser treinador de futebol e achar "bárbaro" que se apoie o clube local.

      Possivelmente, este futuro esboço de treinador passará por equipas pequenas. Espera-se que compareçam zero adeptos aos jogos dessas agremiações, porque na opinião do distinto entendido, isso é uma barbaridade (ou não fosse este indivíduo conhecido adepto do "maior" dos estarolas).

      Para estes cérebros, a Premier é uma fantochada. Inglaterra em peso devia apoiar o United, Chelsea ou City. Assim é que era bonito.

      Infelizmente é disto que se arrasta hoje em dia para o futuro do futebol português.

      Eliminar
    2. Acontece na nossa Cidade as pessoas irem ver o clube da terra somente quando vem o tal "estarola" do coração e lá vão eles de cascol, assim certamente também não é fácil fazer pelo que é nosso...

      Eliminar